Desejo reprimido

As vezes passamos a vida a chorar
Por uma perda,uma dor um amor
Um lugar, um luar
As vezes a mente se distrai
Se atrai, se  vai
Com o vento e a flor
Aquela flor que embalou
Seu olhar quando foi dada com amor
As vezes o dia é tão curto
Que alguma coisa deixamos
Para amanhã
Que caminho seguir
Se vai a algum lugar
Ou a lugar nenhum
As vezes os contos de fadas
São sonhos perdidos
De dias consumidos
Por histórias de beira de cama
Da criança que dorme
Do dia que termina
Do amanhã que se espera
Da vontade dos abraços
Que já eram
De você que me confunde
Que me ama que ilude
Porque é complicado
Viver de amor
Não se vive sem dor
Eu gostaria de morrer
Em um sono profundo
Sem sentir nada
Por deixar esse mundo
As vezes a vida vai passando
E tudo que vai se cansando
Terá um eterno silêncio
Quando a boca calar
E o amanhã nunca chegar

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A tristeza que sinto agora

Vontades paradas no tempo

A vida e a felicidade